GENTE BACANA FACEBOOK YOUTUBE
- AGORA SÃO
Publicidade
ANUCIA PEQUENO 04
ANUCIA PEQUENO 03
ANINCIA AQUI PEQUENO 02
NIVEL DIGITAL
ECOTEC
ANUCIA PEQUENO 01
LONG LIFE
LAVANDERIA MULHER MODERNA
Conteúdo



Dicas de como engravidar naturalmente

   17/09/2014
Fonte: Gente Bacana / vida e saude   

Engravidar não é tão fácil quanto se imagina e uma série de cuidados pode ajudar a tornar esse processo mais simples para o casal. Adotar hábitos saudáveis é o primeiro passo. Afinal saúde em dia, dietaequilibrada e manutenção do peso são essenciais para manter afertilidade

Alguns alimentos não elevam a fertilidade, porém mantêm o organismo equilibrado e saudável. É importante destacar que os carboidratos refinados como pães, macarrão e biscoito ao passarem pelo processo de refinação, perdem nutrientes essenciais como antioxidantes e ferro, essenciais para uma mulher que deseja engravidar. Já a soja, por exemplo, é rica em fitoesterol, um tipo de hormônio vegetal que tende a interferir no estrógeno, o hormônio responsável pela ovulação. Além disso, carnes e leites contêm hormônio e, se forem consumidos em excesso, podem atrapalhar a produção de espermatozoides. 

Outra questão essencial nessa fase é manter a manutenção do peso. Isso porque mulheres obesas podem alterar o padrão da ovulação, comprometendo a fecundação. É fundamental acrescentar que o consumo de gorduras saturadas e trans, excesso de sal e sedentarismo diminuem a fertilidade. E as recomendações não param por aí: evitar o cigarro e bebidas alcoólicas é outra dica importante. O tabagismo prejudica a ovulação e oferece mais riscos ao aborto espontâneo. Já o álcool pode interferir na secreção da testosterona, um hormônio masculino. Ou seja, o casal precisa se empenhar e mudar sua rotina pelo menos por uns três meses antes para obter um resultado positivo. 

É fundamental controlar a ansiedade e o estresse, comuns nessa fase de tentativas. O nervosismo pode alterar os níveis de testosterona, diminuindo a produção de espermatozoides. E na mulher, pode provocar alterações da ovulação. Por isso, as questões emocionais e físicas precisam estar bem resolvidas. Vale apostar em um check-up para verificar se tudo está em ordem. Às vezes, uma doença silenciosa pode estar agindo, como a clamídia, um tipo de doença sexualmente transmissível que pode ser responsável pela infertilidade. E alguma disfunção na tireoide, por exemplo, também pode comprometer as chances de engravidar. 

Também é necessário informar ao ginecologista qualquer tipo de medicação ou tratamento que esteja sendo realizado pelo casal, pois é válido analisar se o medicamento não está dificultando a concepção. Existem medicações que devem ser suspensas até três meses antes da gestação, como um tipo utilizado no tratamento de endometriose e até mesmo o ácido retinoico, indicado em tratamentos estéticos. Até mesmo o uso de calmantes ou antidepressivos tem de serem apontados, pois pesquisas já encontraram ligação entre pacientes deprimidas com infertilidade de causa ovulatória. 

Tomando esse tipo de cuidado e com orientação médica adequada, é mais fácil conseguir engravidar naturalmente. 

Compartilhar no Facebook